Senado Promove reinstalação do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita

CICIBAS com Senador Wellington Fagundes em reunião com o Embaixador da Arábia Saudita.
20/11/2019
Conferência Internacional de Segurança Jurídica e Investimento Estrangeiro
27/11/2019

Senado Promove reinstalação do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita

O Senado reinstalou nesta quinta-feira o Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, com objetivo de incentivar e desenvolver as relações bilaterais entre os Legislativos dos dois países. A comissão executiva do Grupo Parlamentar será presidida pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) e o primeiro vice-presidente será o deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP).

Wellington informou que, até o momento, 29 senadores e 32 deputados aderiram ao grupo. O senador ressaltou que o principal objetivo da reinstalação do Grupo é ampliar as relações entre a Arábia Saudita e o Brasil. Para ele, o Parlamento deve estar presente em todas essas relações para fazer a mediação entre os dois governos no aprimoramento de legislações e, principalmente, no intercâmbio de conhecimento das necessidades dos dois países.

— Quanto mais a gente aumenta a amizade, mais possibilidades a gente tem de ampliar as nossas relações comerciais. O Brasil é um país que está precisando de investimentos e a Arábia Saudita, através do seu fundo de investimento, já sinalizou com um investimento de US$ 10 bilhões, principalmente nessa área de defesa e infraestrutura, que o Brasil tanto precisa. A infraestrutura é fundamental, pois nós precisamos ampliar a produção e nós temos um custo para o Brasil muito forte, principalmente porque temos uma infraestrutura ainda deficiente. Nós precisamos de investimentos nas nossas estradas, nas nossas ferrovias, nas nossas hidrovias, no nosso sistema aeroviário, tudo isso é infraestrutura — disse Wellington Fagundes.

Ele ressaltou que são necessários investimentos de longo prazo para fomentar o emprego.

— Temos aí 13 milhões de pessoas esperando, e o Brasil está em um ponto que essa resposta precisa ser imediata, pois o aumento do índice de pobreza no nosso país é muito grande. Quem está lá esperando por emprego, por melhorias na saúde e na educação, tem pressa. Por isso, essas relações são fundamentais para que a gente possa buscar esse investimento rápido — afirmou o senador.

A audiência contou com a presença do embaixador Ali Abdullah Bahitham e com o Presidente do Centro de Investimentos, Comércio e Industria Brasil Arábia Saudita, Anderson Colatto. A audiência aconteceu em menos de um mês após o anúncio do presidente Jair Bolsonaro em visita ao país do Oriente Médio, de que o Fundo Soberano da Arábia Saudita investirá, no Brasil, US$ 10 bilhões em projetos de defesa e infraestrutura.

O embaixador disse que seu país e o Brasil têm um “relacionamento maravilhoso”, construído há meio século e baseado no respeito mútuo.

— Meio século de relações diplomáticas sauditas-brasileiras se desenvolveu de uma forma crescente e contínua, durante a qual os dois países exploraram seu potencial político e econômico para melhorar a cooperação em todos os campos no nível bilateral e servir à paz e segurança internacionais e defender questões humanitárias em nível internacional — disse Bahitham.

Sobre as expectativas para os próximos anos, o embaixador saudita revelou que seu país tem “uma visão ambiciosa”, que é a “visão 2030”, para apoiar a indústria, o turismo, a educação, a inovação, a saúde, o investimento, as energias renováveis e a segurança alimentar.

— O Reino da Arábia Saudita considera a República Federativa do Brasil, com seu potencial econômico, científico e militar, um parceiro para alcançar essa visão, especialmente porque as relações políticas entre os dois países nos últimos 50 anos têm sido um importante tributário da estabilidade, incentivando um trabalho conjunto mais frutífero e construtivo para ambos os países — declarou.

Fonte: Senado com adaptações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *